(11) 3383-1200
atendimento@raidho.com.br
Diferentes visões, diferentes culturas Nós sabemos onde fica o exótico de cada parte do mundo

     
Dicas
   
 
 

DICAS GERAIS – AUSTRÁLIA




A Austrália, oficialmente Comunidade da Austrália é um país do hemisfério sul, localizado na Oceania, que compreende a menor área continental do mundo ('continente australiano'), a ilha da Tasmânia e várias ilhas adjacentes nos oceanos Índico e Pacífico. O continente-ilha, como a Austrália por vezes é chamada, é banhado pelo oceano Índico, a sul e a oeste, pelo mar de Timor, mar de Arafura e Estreito de Torres, a norte, e pelo mar de Coral e mar da Tasmânia, a leste. Através destes mares, tem fronteira marítima com a Indonésia, Timor-Leste e Papua-Nova Guiné, a norte, e com o território francês da Nova Caledónia, a leste, e a Nova Zelândia a sudeste.

A Austrália juntamente com a Nova Zelândia são considerados os melhores países do mundo para se viajar por estradas. O turista encontrará todas as facilidade em qualquer parte que estiver. Tudo é extremamente simples e funcional. Essa simplicidade, é fruto de anos de planejamento turístico por parte dos governos estaduais, e de muito trabalho por parte da população local, que adora mostrar sua cidade, e tem orgulho do pedaço de Austrália em que mora. Por isso, o turista sente-se bem-vindo e relaxado, sem ser explorado, e com a certeza de que sera tratado com respeito e carinho, típico do Australiano. Em qualquer parte da Austrália, a grande maioria das pessoas está sempre pronta para lhe ajudar, e fornecer indicações ou direções de ruas ou rotas à seguir. O resultado é dos mais prazerosos possíveis.

 
 
 
 



A Austrália tem dimensões continentais com grandes distâncias a serem percorridas entre as cidades, enquanto a Nova Zelândia inteira pode ser percorrida de cima para baixo em somente 4 dias. Ambas são maravilhosas de viajar, cada qual oferecendo um tipo de paisagem totalmente diferente da outra. Enquanto as praias da Austrália, as cidades, os desertos, as florestas sub tropicais, a cultura Aborigene, e a Grande Barreira de Corais são os pontos altos, na Nova Zelândia a Cultura Maori, os picos nevados, lagos de beleza indescritível, a vegetação que muda completamente a cada 200 ou 300 kilômetros, os vulcões ativos, são atrativos para olhos nenhum botar defeito. Na verdade, em termos de viagem por estrada, um país complementa o outro.

Você pode viajar a Austrália como melhor lhe convier, seja de carro, trem, ônibus, ou avião. A quantidade de opções, e coisas para fazer ou conhecer é tão grande, que só será limitada por seu tempo disponível e dinheiro no bolso. As paisagens, pessoas e locais que você irá conhecer sem dúvida irão ultrapassar suas expectativas. Mesmo em localidades pequenas e afastados dos centros urbanos, a infra-estrutura básica para o viajante funciona perfeitamente em todos os sentidos. Não existem problemas para se conseguir hospedagem, combustível, comida, ou auxílio médico na maioria das localidades e vilarejos. Existem acomodações de todos os tipos para todos os bolsos, todas com excelentes instalações, conforto e higiene.

As grandes cidades também são seguras e fáceis de se locomover, cada uma oferece um sem número de atrações e coisas interessantes para fazer. O maior perigo em nossa opinião, é para aqueles que não estão acostumados com a mão de tráfego Inglesa. Na hora de atravessar uma rua, olhe sempre para a direita antes de olhar para a esquerda. A regra para dirigir é a mesma. Sempre de passagem ou prioridade para o veículo se aproximando pela direita. Capital – Camberra

Moeda – Dólar Australiano

Idioma Oficial – Inglês

Fuso Horário – Meridiano de Greenwich +8 a 10,5

Vistos consulares – Brasileiros necessitam de visto de entrada. Documentos –

Documentação Básica para solicitação de todos os tipos de vistos:

* 01 foto 5x7 recente (6 meses no máximo).

* Declaração de Imposto de Renda completo, com recibo de entrega, pessoa física, ref. último exercício.

* Cópia autenticada dos 3 últimos contra-cheques + cópia autenticada da carteira profissional + carta da empresa em papel timbrado informando o período de férias, e que não se encontra em aviso prévio (se empregado).

* Cópia autenticada dos 3 últimos pró-labores + cópia autenticada do contrato social + cópia autenticada do CNPJ (se empregador).

* Cópia colorida autenticada do R.G.

* Cópia autenticada dos 3 últimos comprovantes de RPA(Recibo de Pagamento Autônomo)+ cópia autenticada da inscrição como autônomo (se autônomo).

* Extratos bancários últimos 3 meses ( conta corrente, aplicações, investimentos - cópia autenticada ou originais se não desejar receber de volta).

* Comprovante de reserva (printer fornecido pela agência de turismo ou companhia aérea).

* Cópia autenticada de Escrituras de imóveis, documento de carro próprio, extrato bancario de cartão crédito internacional dos 03 últimos meses, carteira de identidade profissional como CRM/OAB/CRO ( estes são, documentos complementares que poderão ser apresentados , para reforçar a documentação apresentada)

* Estudantes deverão apresentar também um comprovante escolar

* Para menor de 18 anos viajando desacompanhado, acrescentar ( em qualquer tipo de solicitação de visto): Formulário Modelo 1229 completamente preenchido e assinado pelos pais ( ambos) + autorização de viagem + cópia autenticada da certidão de nascimento do menor + cópia autenticada da carteira de identidade de ambos os pais.

*Requerentes com idade à partir de 75 anos , acrescentar: comprovante de seguro viagem para o período total da estadia na Austrália + realização de exames médicos em um dos médicos credenciados com a Embaixada ( o médico encaminhará os resultados diretamente à Embaixada e no ato do pedido de visto , o requerente deverá informar em que médico fez os exames e data de realização dos mesmos a fim de facilitar à Embaixada a localização dos mesmos)

* Carta convite, caso visite parentes ou amigosVisto A Turismo:

» Documentação Básica.

- Cópia colorida E autenticada das páginas de dados pessoais do passaporte atual com validade mínima de 06 meses + todas as páginas com vistos já obtidos para Austrália ou outros países (exclusivo para Brasileiros, Argentinos, Uruguaios e Paraguaios - outras nacionalidades, apresentar passaporte original)

» Formulário modelo 48R POR preenchido e assinado pelo requerente.

» Formulário ADICIONAL 956A preenchido e assinado pelo requerente (quando menor, ambos os pais e o menor devem assinar o formulário no campo de assinatura)

Estrangeiros de outras nacionalidades não citadas acima deverão apresentar passaporte original com validade mínima de 06 meses. Clima / Melhor Época – A Austrália é cortada bem no meio pelo Trópico de Capricórnio (que no Brasil passa ligeiramente ao norte de São Paulo).

O verão na Austrália é bom para ir à praia em todo o sul, onde nunca chove excessivamente. Já no noroeste, norte e nordeste do país, o calor pode incomodar, e de dezembro a março é a época de chuvas. Chover muito mesmo, só na região tropical nas proximidades de Darwin, ao norte do país. Não há na Austrália chuvas nem frio excessivos que atrapalhem a viagem mesmo no inverno. Ao sul de Sydney, no inverno faz um frio suportável. Apenas na pequena e bela Ilha da Tasmânia, bem ao sul e nas montanhas, onde as paisagens lembram as regiões alpinas européias, é que há neve e temperaturas muito baixas.
História –

A habitação humana da Austrália teve seu início estimado entre 48.000 e 42.000 anos atrás, possivelmente com a migração de pessoas por pontes de terra e por cruzamentos pelo mar de curta distância, no que é atualmente o sudeste da Ásia. Estes primeiros habitantes podem ter sido antepassados dos modernos indígenas australianos. Na época da colonização européia no final do século XVIII, a maioria dos indígenas australianos eram caçadores-coletores, com uma complexa cultura oral e valores espirituais com base em reverência à terra e uma crença no Tempo do Sonho. Os habitantes das Ilhas do Estreito de Torres, etnicamente melanésios, foram originalmente horticultores e caçadores-coletores.

O primeiro avistamento europeu registrado do continente australiano e o primeiro desembarque europeu na sua costa foram atribuídos ao navegador holandês Willem Janszoon, que avistou a costa da Península do Cabo York em uma data desconhecida no começo de 1606: ele fez o desembarque em 26 de fevereiro no rio Pennefather na costa ocidental do Cabo York, perto da cidade moderna de Weipa. O holandês traçou todo o litoral oeste e norte da 'Nova Holanda', durante o século XVII, mas não fez nenhuma tentativa de colonização. Em 1770, James Cook navegou ao longo e mapeou a costa leste da Austrália, que chamou de Nova Gales do Sul e reivindicou para o Reino Unido. As descobertas de Cook prepararam o caminho para a criação de uma nova colônia penal. A colônia da Coroa Britânica de Nova Gales do Sul foi formada em 26 de janeiro de 1788, quando o Capitão Arthur Phillip levou a Primeira Frota a Port Jackson. Esta data tornou-se o Dia da Austrália. A Terra de Van Diemen, hoje conhecida como Tasmânia, foi colonizada em 1803 e tornou-se uma colônia separada em 1825. O Reino Unido reclamou a parte ocidental da Austrália, em 1828.

Colônias separadas foram esculpidas a partir de partes de Nova Gales do Sul: Austrália Meridional em 1836, Victoria em 1851, e Queensland em 1859. O Território do Norte foi fundado em 1911, quando ele foi extirpado da Austrália Meridional. A Austrália Meridional foi fundada como uma 'província livre', que nunca foi uma colônia penal. Victoria e Austrália Ocidental também foram fundadas como 'livres', mas depois aceitaram transportar presos. Uma campanha de colonos da Nova Gales do Sul levou ao fim o transporte de condenados para a colônia; o último navio com condenados chegou em 1848.

A população indígena, estimada em 350 mil na época da colonização européia, diminuiu drasticamente 150 anos após a colonização, principalmente devido a doenças infecciosas. As 'gerações roubadas' (remoção de crianças aborígenes de suas famílias), que historiadores como Henry Reynolds alegam que poderia ser considerado um genocídio, pode ter contribuído para o declínio da população indígena. Tais interpretações da história aborígenes são disputadas por comentaristas conservadores como o ex-primeiro-ministro John Howard como exageradas ou fabricadas por motivos políticos ou ideológicos. Este debate é conhecido na Austrália como as Guerras da História. O governo federal ganhou o poder de fazer leis com relação aos aborígines na seqüência do referendo de 1967. A propriedade das terras tradicionais (chamadas native title) não era reconhecida até 1992, quando a Suprema Corte da Austrália, durante o Caso Mabo contra Queensland (No 2), derrubou a noção da Austrália como terra nullius ('terra pertencem a ninguém') antes da ocupação européia.

A corrida do ouro começou na Austrália no início da década de 1850[42] e a rebelião de Eureka Stockade contra as taxas de licença de mineração em 1854 foi uma expressão inicial de desobediência civil. Entre 1855 e 1890, as seis colônias individualmente adquiriram um governo responsável, gerindo a maioria dos seus próprios assuntos, enquanto parte restante do Império Britânico. O Instituto Colonial em Londres manteve o controle de alguns assuntos, nomeadamente dos negócios estrangeiros, defesa, e de transporte marítimo internacional.

Em 1 de janeiro de 1901, a federação das colônias foi realizada após uma década de planejamento, consulta e votação. A Comunidade da Austrália foi criada e tornou-se um domínio do Império Britânico em 1907. O Território da Capital Federal (mais tarde rebatizado para Território da Capital da Austrália) foi formado em 1911 como a localização para a futura capital federal de Canberra. Melbourne foi a sede temporária do governo entre 1901 e 1927, enquanto Canberra era construída. O Território do Norte foi transferido do controle do governo da Austrália Meridional para o parlamento federal, em 1911. Em 1914, a Austrália foi aliada do Reino Unido durante a Primeira Guerra Mundial, com o apoio do Partido Liberal e do Partido Trabalhista. Os australianos participaram em muitas das grandes batalhas travadas na Frente Ocidental. Dos cerca de 416 mil soldados que serviram, cerca de 60 mil foram mortos e outros 152 mil ficaram feridos. Muitos australianos consideram a derrota da ANZAC (Forças Armadas da Austrália e Nova Zelândia) em Galípoli, atual Turquia, como o nascimento da nação, sua primeira grande ação militar. A campanha de Kokoda Track é considerada por muitos como um evento definidor análogo da nação na Segunda Guerra Mundial.

O Estatuto de Westminster (1931) terminou formalmente com a maioria das ligações constitucionais entre a Austrália e o Reino Unido. A Austrália adotou o estatuto em 1942, mas com efeitos retroativos a 1939 para confirmar a validade da legislação aprovada pelo Parlamento australiano durante a Segunda Guerra Mundial. O choque da derrota da Inglaterra na Ásia em 1942 e a ameaça da invasão japonesa fez com que a Austrália olhasse para os Estados Unidos como um novo aliado e protetor. Desde 1951, a Austrália tem sido um aliado militar formal dos Estados Unidos, nos termos do tratado ANZUS. Após a Segunda Guerra Mundial, a Austrália encorajou a imigração da Europa. Desde os anos 1970 e após a abolição da política Austrália Branca, a imigração da Ásia e de outros lugares também foi promovida. Como resultado, a demografia, cultura e auto-imagem da Austrália foram transformadas. Os laços constitucionais finais entre a Austrália e o Reino Unido foram cortados com a aprovação do Australia Act 1986, acabando com qualquer papel britânico no governo dos estados australianos e, fechando a possibilidade de recurso judicial para o Privy Council, em Londres. Em um referendo de 1999, 55% dos eleitores australianos e uma maioria em cada estado australiano rejeitou a proposta do país se tornar uma república com um presidente nomeado pelo voto de dois terços de ambas as Casas do Parlamento Australiano. Desde a eleição do Governo Whitlam em 1972, tem existido um foco crescente na política externa dos laços com outras nações do Pacífico, mantendo laços estreitos com os aliados tradicionais da Austrália e com parceiros comerciais.


 
     
Através da lista de casamento Raidho, os convidados presenteiam o casal com cotas, de diferentes valores, que se transformam na viagem dos sonhos!
REDES SOCIAIS
NEWSLETTER
Receba nossas promoções e novidades em seu E-mail.
Aceito os termos de uso e política de privacidade
Login: Senha: Esqueceu a Senha?
ÁREA RESTRITA CÂMBIO ON-LINE
Euro (EURO): R$ 3,950
Dólar (US$): R$ 3,350
20/10/2017 às 14h 42 min
DESENVOLVIDO POR
VMB Consultores & Informática