(11) 3383-1200
atendimento@raidho.com.br
Diferentes visões, diferentes culturas Nós sabemos onde fica o exótico de cada parte do mundo

     
Dicas
   
 
 

DICAS GERAIS – NEPAL


O Nepal é um país asiático dos Himalaias, limitado a norte pela China (Tibete) e a leste, sul e oeste pela Índia, e é um país sem costa marítima. A sua capital é Catmandu.

No país se situa o monte Everest, o pico mais alto da terra com 8 848 m, na fronteira norte com o Tibete (China).

O Nepal é um país pobre, situado na encosta da cordilheira do Himalaia, centro da Ásia, entre o Tibete (ocupado pela China) e a Índia, e tem uma das maiores densidades demográficas do continente, com 153 habitantes por quilômetro quadrado. A população nepalesa é composta de 12 etnias, que convivem harmonicamente.

A agricultura emprega 90% da mão-de-obra, tornando o país grande fornecedor de arroz para a região. Em vez de construção de estradas, conter a erosão do solo há séculos tem sido a principal ocupação dos governantes, sendo que o sistema de terraços usados na irrigação do arroz é um desafio aos meios usados no ocidente para conter o mesmo tipo de erosão.

A cultura nepalesa é muito variada, refletindo as diferentes origens ét nicas de seu povo. Como cerca de 80% da população é hinduísta, a cultura nepalesa tem muitos costumes, crenças e tradições hindus. Entretanto a influência do budismo, que abrange cerca de 10% da população, é grande. As duas religiões coexistem e ritos hinduístas e budistas que acompanham o nascimento, o casamento e a morte são praticados conjuntamente.

 
 
 
 


Como os hinduístas são em grande medida vegetarianos, à semelhança do que se passa na vizinha Índia, a culinária nepalesa reflete uma dieta vegetariana. Um prato tipicamente nepalês (alguns ironizam que é o único prato nepalês) é o dal bhat, cuja base é uma porção de arroz (bhat) branco cozido e uma sopa ou molho muito pouco espesso de lentilhas. Usualmente pode incluir outros molhos, nomeadamente chetnim (também chamado chutney) e outros ingredientes. Usualmente é servido num tabuleiro onde se encontra um prato ou tigela de arroz, vários copos com os molhos e 'sopas', apresentando-se os restantes ingredientes, se existir, noutras tigelas. Uma das variantes mais populares é o dal bhat tarkari, que além do arroz e do dal, inclui uma porção de caril de vegetais (tarkari). Além do tarkari, é comum incluir iogurte e, por vezes, caril de carne (frango ou, menos freqüentemente, borrego) ou peixe. Embora para muitos paladares pouco acostumados com comida picante a comida nepalesa possa parecer algo picante, em comparação com outras zonas do sul da Ásia e Extremo Oriente praticamente a comida nepalesa está longe de ser verdadeiramente picante.

O país continua sendo um excelente destino para aqueles que desejam ver lugares e povos diferentes, têm sede de exotismo, querem fugir do convencional e buscam aventuras.

Além de magníficos templos e paisagens com montanhas nevadas, o Nepal oferece bons programas para aqueles que adoram esportes radicais, como rafting, balonismo, trekking e até safáris em que se passeia pela selva montado em elefantes. Capital – Kathmandu

Moeda – Rupia Nepalesa

Idioma Oficial – Nepalês

Fuso Horário – Meridiano de Greenwich + 5:45 horas

Vistos consulares – Brasileiros precisam de visto de entrada.

Documentos –

O visto poderá ser obtido na chegada ao Nepal, pagando-se a taxa conforme motivo da viagem, juntamente com a apresentação de 3 fotos iguais e recentes.

Certificado Internacional de vacinação contra febre amarela Clima / Melhor Época –

De modo geral, as chuvas de monções no Nepal começam por volta de junho e terminam em outubro, os meses mais chuvosos.

Os meses mais agradáveis são fevereiro (ainda um pouco frio), março, abril e maio, que correspondem à primavera, ou de setembro a final de novembro, o outono. O inverno no Nepal é um pouco frio, mas dá para encarar. Junho, julho e agosto são os meses mais chuvosos.

Principais cidades e lugares de interesse turístico – Katmandu, Patan, Bhaktapur, Nagarkot, Pokara.

História –

A pré-história do Nepal não é clara até o século VIII a.C.. A lenda conta que o vale de Catmandu foi nas suas origens um belo lago no qual flutuava a flor de lótus da qual emanava uma mágica luz. O patriarca chinês Manjushri decidiu, ante tanta beleza, drenar a água do lago para que a flor pousasse no solo e utilizou sua espada para cortar a parede que fechava o vale e permitir que a água saísse. No lugar que o lótus pousou, o patriarca construiu um templo, a estupa de Swayambhunath e uma pequena aldeia de madeira denominada Manjupatan. Desconhece-se se esta lenda contém alguma verdade. Mas o certo é que os geólogos comprovaram que o vale já foi coberto de água.

No século VIII a.C. aparece a cultura kirati com a invasão destes povos que fundaram no vale um reino no qual governaram 28 monarcas como Yalambar, o mais famoso deles. Os kirati eram avezados comerciantes e ganadeiros. Depois vieram oslichhavis, procedentes da Índia, que reinaram desde o século IX ao XII d.C.. OsTakuris tiveram como principal monarca Amshurvarma, sucedendo-o a Dinastia Gupta, que conseguiu fazer deste país um reinado independente. Do século XIII aoXVIII subiram ao poder os Mallas que consolidaram a hegemonia do Nepal. Os meados do século XIX, Jung Bahadur Rana tomou o poder assassinando o monarca legítimo, pondo em seu lugar um testa de ferro nomeado por ele, constituindo o cargo hereditário, que governava sob o título de Primeiro-ministro Rana. Os Ranagovernaram o Nepal durante um século até que em 1940 uma revolta popular acabou com esta ditadura.

Em 1951 regressa ao Nepal o rei Tribhuvan Bir Bikram que falece quatro anos depois e é substituído por seu filho Mahendra Bir Bikram Shah. O país ingressa na Organização das Nações Unidas. Em 1959 se promulga uma nova constituição, e celebram-se as primeiras eleições do país na que vence o Partido do Congresso. Todavia, um ano depois, o monarca acaba com a incipiente democracia declarando ineficaz o sistema parlamentar. A partir de 1961 proclama-se um sistema de democracia dirigida sem partidos políticos. Em 1972 morre o rei e é sucedido por seu filho Birendra que continua com a mesma política de seu pai. Em 1980 uma consulta popular ratifica o poder do rei desprezando a democracia parlamentar.

Em 1983 o rei nomeia Nepal como estado de paz e recebe o respaldo de 37 países que em 1988 serão já 97 países, com exceção da Índia e Moscou, que não reconhece esta zona de paz.

Em 1990 o rei dissolve a Assembléia e se forma um novo governo com K.P. Bhattaral como primeiro-ministro. O monarca apresenta uma nova constituição na que se estabelece a democracia multi partidarista. Em 1994 continua como Chefe do Estado o rei Birendra Shah e como chefe de governo que dirige a nação, Mohan Adhikari.

Em 15 de Janeiro de 2007 entrou em vigor uma constituição provisória que preparará a realização de eleições para uma Assembléia Constituinte. De acordo com a nova constituição o rei está destituído dos seus poderes.

Em 24 de dezembro de 2007, os partidos políticos do país, incluindo os governistas e os poderosos ex-rebeldes maoístas, colocaram-se de acordo para abolir a monarquia a partir do primeiro semestre de 2008, com a nova constituição.


 
     
Através da lista de casamento Raidho, os convidados presenteiam o casal com cotas, de diferentes valores, que se transformam na viagem dos sonhos!
REDES SOCIAIS
NEWSLETTER
Receba nossas promoções e novidades em seu E-mail.
Aceito os termos de uso e política de privacidade
Login: Senha: Esqueceu a Senha?
ÁREA RESTRITA CÂMBIO ON-LINE
Euro (EURO): R$ 3,950
Dólar (US$): R$ 3,350
20/10/2017 às 14h 42 min
DESENVOLVIDO POR
VMB Consultores & Informática